sábado, maio 26, 2007

Desenhar a vida





Pego no papel e no lápis de carvão
Ouço a voz que vem do coração







Faço um esboço, com alguma emoção
Linhas traçadas de uma vida…
Pedacinhos da minha VIDA!
Umas de traço bem firme
Repletas de sentimento
De muitos e belos momentos
Vividos com intensidade…
Com alguma FELICIDADE…





Treme o traço… pela SAUDADE











Impetuosos traços, meios ziguezagueados
Com sulcos bem profundos
Dói a mão, a alma, a minha essência
Momentos vividos, tristes lamentos
Apanho os estilhaços com paciência








Recomponho o esboço, volto aos MOMENTOS
Com mão segura, traço bem leve
Suave, puro, como um floco de neve
Reflexos repletos de ternura
Com sorrisos à mistura
Daqueles que eu nem vi nascer
Sonhava num belo adormecer
Meus filhos, pedaços do meu SER
Razão do meu VIVER
Continuo com leveza
De mãos trémulas, mas com CERTEZA
De MOMENTOS saboreados
Entrelaçados…
Alguns, “meio culpados”
Mas todos muito AMADOS…
Continuarei o esboço com ESPERANÇA
Na VIDA, no AMOR, no MOMENTO
Como um sorriso de criança
A vida só é possível REINVENTADA
Com pequenos PEDACINHOS da minha alma
Numa melodia ENCANTADA
Que me TRANSFORMA e me ACALMA…


Viver... precisa ter muito equilíbrio!!!

belakbrilha

6 comentários:

MARTA disse...

Que lindo - somos nós que desenhamos a nossa vida, com hesitações, medos, recomeços e vitórias...
Gostei muito..
Obrigada por estares lá na festa...
Beijos e abraços
Marta

Betty Branco Martins disse...

Olá Bela

Todos os dias ________nós fazemos o ensaio do "esboço" da vida_________com traços profundos ou mais finos_______mas sempre na busca da essência que nos faz respirar

Adorei esta composição________sob um manto de um grande poema

Beijinhos com carinho
BDomingo

A.S. disse...

Belissimo poema!...
A vida é sempre um esboço permanente que fazemos todos os dias!


Um terno Beijooo

Ana disse...

Imagens deliciosas acompanhadas de palavras certas e mágicas.

Paulo T Pires disse...

Gostei da composição...

Noite disse...

É difícil, cada vez mais, encontrar o equilíbrio entre o sonho e a realidade, entre a esperança que temos e aquilo que recebemos, mas é preciso continuar a tentar, nem que seja no algodão puro da tela, ou no negro do carvão, é preciso...